Adesivos de vinil ou adesivos de papel: qual a diferença?

Esses adesivos são bastante utilizados em diversos setores, porém você sabe quais são as diferenças entre ambos? Descubra agora em nosso post!

Adesivos de vinil ou adesivos de papel: qual a diferença?

Adesivos são utilizados em diversas superfícies e desempenham diferentes funções. Eles podem, por exemplo, decorar embalagens, enfeitar paredes, ser colocados em vitrines e carros para divulgar informações, personalizar objetos e muito mais.

Como há várias atividades que os adesivos podem realizar, também existe mais de um tipo do produto. Dois dos principais modelos de adesivos no mercado são o de vinil e o de papel. Muitas pessoas não conhecem exatamente as particularidades de cada um e, consequentemente, não sabem qual é o mais adequado para o seu negócio.

Sendo assim, vamos explicar nesse post quais são as diferenças entre ambos os tipos de adesivos. Confira!

Adesivos de vinil

Esse modelo é feito a partir de um tipo de plástico, o policloreto de vinil, que é mais conhecido como PVC. Por ser formado por esse material, o adesivo de vinil é bastante resistente e maleável. Além disso, ele ainda é impermeável.

Essas características fazem com que o produto seja muito procurado para aplicação em vidros, como vitrines, em veículos e paredes. Todos esses locais estão sujeitos a entrar em contato com a água, diferentes temperaturas e outros elementos, como sujeira e poeira. Sendo assim, é fundamental ter um adesivo resistente e impermeável que suporte essas interações e não se danifique ou desfaça após o contato.

A maleabilidade permite que o produto seja manuseado várias vezes e também não estrague. O que é igualmente positivo para os adesivos que serão colocados, por exemplo, em vitrines, paredes ou veículos, pois nesses locais a aplicação geralmente demora mais tempo e o contato com o produto é maior.

Ainda, nesses lugares, as chances de várias pessoas passarem a mão no adesivo são bem grandes. Portanto, a resistência e a flexibilidade são essenciais. Os adesivos de vinil são encontrados no mercado em diferentes cores e texturas, e eles possuem até maneiras distintas de serem feitos. Isso porque alguns modelos são impressos e outros não.

Alguns adesivos, como os que são utilizados em paredes, normalmente não são impressos. Eles são apenas recortados no formato em que serão usados. Já os demais devem ser impressos, porém, como o produto é impermeável, a impressão não pode ser realizada em impressoras comuns com tintas pigmentadas e corantes.

Essas máquinas não aguentam a impressão de um material impermeável e podem até se deteriorar ou estragar, caso alguém tente fazer esse serviço com elas. O correto é usar um equipamento de grande porte que funcione com tinta solvente. A impressora mais indicada para esse cenário é a plotter, que preenche todos esses requisitos citados acima.

O preço do vinil costuma ser mais caro que outros tipos de adesivos disponíveis no mercado, devido ao próprio material e também ao custo de produção. Então, o responsável precisa conferir qual é o seu objetivo e se compensa fazer um adesivo com esse elemento.

Adesivos de papel

O adesivo de papel é o mais utilizado entre todos os tipos disponíveis no mercado. Há diversas razões para ele ser o campeão de aplicações, sendo que uma delas é o valor do produto. Como ele pode ser impresso em máquinas comuns e o papel é mais barato, o preço do adesivo se torna igualmente mais acessível.

Além disso, mesmo sendo feito com tinta corante, ele ainda é resistente à água. Contudo, o papel não é um elemento tão forte como o vinil, por isso não é recomendado colocá-lo em locais que têm muito contato com umidade ou que precisam ser lavados.

Se ele for aplicado em uma vitrine, por exemplo, que é higienizada com frequência, as chances de ele ficar enrugado com o tempo são grandes. Por essa razão, evita-se usar o adesivo de papel em ambientes úmidos e externos.

Esse modelo de adesivo pode ser encontrado em 3 versões no comércio: o fosco (sulfite), reciclado e o glossy (brilhante). O último é o preferido dos comerciantes e, portanto, o mais utilizado nas aplicações de adesivo de papel.

O produto é usado principalmente em etiquetas, embalagens e lembrancinhas personalizadas, rótulos, capas de livros, agendas, adesivos para fechar envelopes e locais internos. Ou seja, ele é bastante encontrado em produtos de gráficas e papelarias.

Uma vantagem do adesivo de papel é que pode ser usada matéria-prima reciclada, então alguns modelos são sustentáveis. Para empresas que se preocupam com o meio ambiente, essa é uma ótima opção, pois elas vão conseguir continuar utilizando adesivos em rótulos, por exemplo, sem agredir tanto a natureza.

Qual dos adesivos é o melhor?

Muitos empresários se perguntam em qual tipo de adesivo é melhor investir em seus projetos. Depois de explicitar as diferenças entre o adesivo de vinil e o de papel, conclui-se que não há uma resposta exata para essa pergunta.

Ambos os adesivos têm suas vantagens e desvantagens. Sendo assim, você precisa analisar qual é o seu propósito e qual é o produto mais apropriado para essa finalidade.

O que se pode afirmar é que, de forma geral, o adesivo de papel agrada mais os comerciantes, porque o seu valor é mais acessível. Então, o custo-benefício acaba sendo melhor quando comparado aos dos demais materiais.

A facilidade de impressão é mais uma vantagem que o adesivo de papel traz, pois você consegue imprimi-lo em uma máquina comum. Já o produto de vinil não oferece essa possibilidade. Para ele ganhar forma, você deve ter acesso a uma impressora grande e que funcione com tinta solvente. Isso só é possível se você contratar uma empresa especializada no assunto.

Além disso, o adesivo de papel realmente não é tão resistente quanto o de vinil, mas em diversos casos não há a necessidade de o produto ser tão forte. Por exemplo, um adesivo que é utilizado para fechar envelopes não tem de suportar vigorosamente a umidade.

É por essa razão que ele é muito utilizado em itens como presentes, agendas e cadernos. Ele ainda pode ser encontrado em diferentes versões, como o adesivo fosco e o glossy, o que dá versatilidade para os projetos feitos com os adesivos de papel.

Agora que você já viu quais são as diferenças entre os adesivos de vinil e de papel, já sabe qual é o melhor para o seu negócio?

Design de Embalagem: 5 dicas para criar e impressionar

O design de embalagem é um dos grandes responsáveis por chamar a atenção dos consumidores. Sendo assim, veja em nosso post como criar embalagens super atrativas!

Uma embalagem atraente tem o poder de chamar bastante a atenção dos consumidores. Ela faz com que um indivíduo pare e observe sua vitrine. Já outra que não possui nada de especial pode passar batido pelo olhar do possível comprador. Por essa razão, é essencial investir tempo e dinheiro na produção delas.

Se você não sabe como criar uma embalagem que encantará os seus clientes, fique tranquilo! A seguir, vamos dar 5 dicas de design de embalagens para que sua marca impressione os consumidores. Confira!

1. Pesquise antes de criar

A pesquisa é uma peça fundamental na criação da embalagem. Se você pular essa tarefa, muito provavelmente o seu trabalho para montar um embrulho impressionante não terá bons resultados. A embalagem deve ser atraente para o seu público-alvo e, sem uma pesquisa, como você vai saber o que é chamativo para eles?

Por isso, a pesquisa tem que ser feita. Busque informações sobre os seus clientes, como idade, classe social, hobbies e do que eles gostam, em geral. Com esses dados, será mais fácil criar a embalagem e as chances de ela ser um sucesso são bem maiores.

Além de conhecer o seu público-alvo, pesquise sobre o seu segmento de mercado e veja o que a concorrência está produzindo. A ideia aqui não é copiar, mas sim ver quais são as tendências do mercado e o que a sua marca pode fazer para inovar no ramo.

2. Escolha bem o material

Diversos tipos de materiais são utilizados para fazer embalagens, como plástico, papeis, alumínio, entre outros. Entre tantas opções, você precisa observar as características de seus produtos para descobrir qual é o material mais adequado para a sua marca. Veja o tamanho de sua mercadoria, o peso e ainda qual tipo de embalagem combina mais com ela. Por exemplo, produtos rústicos costumam cair bem com papel kraft natural.

Atualmente, independente do setor de mercado, as embalagens sustentáveis estão em alta. Então, veja se é possível criar um embrulho que não prejudique tanto o meio ambiente.

Ainda, não se esqueça de escolher um material que seja de fácil manuseio e funcional. Embalagens que são reutilizáveis são uma ótima estratégia para atrair consumidores, porque ela fica como um extra para o cliente. Ele compra o produto e também ganha um pacote que pode usar em diversas situações.

Alguns bons exemplos desses embrulhos são as ecobags, sacolas de papel kraft e caixas decoradas de vidro. As duas primeiras, depois de embalar o produto de sua loja, podem seguir cumprindo a função de proteger outras mercadorias, como roupas, calçados, entre outros. Já as caixas são usadas para guardar acessórios e até alimentos, como bolachas e os em pó.

3. Capriche no design

Depois de escolher o material de sua embalagem, é a hora de pensar no design dela. A sua identidade visual deve estar presente para que o consumidor possa identificar de qual marca é o embrulho. Entretanto, é permitido brincar com a sua logomarca e seus conceitos.

Sendo assim, pense bem nas cores da embalagem, a tipografia dos escritos e também no formato dela. Esse trabalho é necessário para que não sejam colocadas informações demais em pouco espaço e para que a embalagem tenha harmonia.

O formato pode ser uma maneira bacana de inovar no design do embrulho. Em vários setores, quando você fizer sua pesquisa, verá que há padrões de molde para as embalagens. Por exemplo, em um ramo a maioria delas é feita no formato de caixas redondas ou de sacolas grandes.

Se você modificar esse padrão, com certeza chamará a atenção dos compradores. Contudo, lembre-se da forma do produto e faça a embalagem em um formato que proteja bem a mercadoria. Além disso, não se esqueça de que o embrulho deve ser de fácil manuseio. A ideia é inovar, sem deixar a segurança do produto e a praticidade de lado.

4. Mexa com os sentidos do consumidor

Fazer uma embalagem que mexa com os sentidos do consumidor pode ser um atrativo e tanto para a sua marca. Provocar o olfato, o tato ou a visão de uma pessoa é interessante, porque ela ficará curiosa e vai querer saber mais sobre o produto que está envolto por aquela embalagem enigmática.

Por isso, aposte em embrulhos que provoquem, pelo menos, um dos sentidos humanos. A visão é, sem dúvidas, o sentido mais seduzido pelas embalagens. As cores e formatos são usados para chamar atenção dos clientes.

Geralmente, as cores da embalagem são escolhidas de acordo com a identidade da empresa, porém você também pode selecioná-las conforme o produto. Por exemplo, se for uma caneca para bebidas geladas, uma opção é fazer o embrulho na cor azul ou gelo, que lembram a sensação de frio.

Uma ação fácil de ser realizada para estimular o olfato do comprador é perfumar a embalagem. Se o produto adquirido for um presente, melhor ainda, pois serão, no mínimo, duas pessoas encantadas com o seu trabalho.

O tato é bastante atraído por embrulhos em relevo, como em latas de alumínio em que algumas partes do objeto se destacam e ficam em 3D. Outra ideia para provocar o tato é colocar couro ou outros tecidos e papeis em sacolas. Lembre-se de estimular, no máximo, dois sentidos do consumidor, pois nesse caso, menos é realmente mais.

5. Faça embalagens limitadas

Caprichar nas embalagens da sua marca é obrigatório para encantar o comprador. Entretanto, se você ainda quiser surpreendê-lo, por que não criar embrulhos sazonais? Ou seja, embalagens limitadas para determinadas épocas do ano. Essa estratégia desperta o interesse do consumidor e mostra que sua empresa tem planejamento.

Algumas ideias bacanas são fazer, por exemplo, embalagens especiais para o verão, dia das mães, para o Natal ou ano novo. A apresentação dessas deve ser mais bem-acabada e elas têm que ter características específicas da festa, que mostrem qual é a ocasião especial.

A embalagem é um grande atrativo para os produtos de sua marca. Por isso, ela deve ser tão bem pensada e trabalhada. Depois de ver essas 5 dicas sobre design de embalagens, o que você acha de começar a impressionar os consumidores com as suas criações?

 

Fonte: Onpaper

Impressão offset ou digital: descubra qual é a ideal para você

A impressão offset e a digital são bastante utilizadas, mas muitos não sabem quais são as diferenças entre ambas. Veja aqui e descubra qual é a ideal para você!

As gráficas utilizam diversos tipos de impressão para dar forma aos mais variados projetos. Entre os modelos de impressão mais usados estão o offset e o digital. Apesar de bastante populares, há algumas pessoas que não sabem muito bem qual é a diferença entre um e outro.

É fundamental conhecer ambos os processos para descobrir qual é o mais adequado para você. Por isso, a seguir, vamos explicar quais são as características e vantagens de cada procedimento. Continue lendo o nosso post e confira!

Impressão offset

Esse é o tipo mais antigo de impressão, porém ele ainda é muito utilizado. Como foi criado há muito tempo, esse processo é um pouco mais complexo que os contemporâneos. O offset é realizado em três etapas, com cilindros e chapas de alumínio.

Primeiro se coloca água com tinta em um cilindro para que ele receba a imagem que deve ser impressa. Depois, a figura passa para um segundo cilindro, em que o papel é colocado sobre ela e ambos são pressionados por um terceiro cilindro. Já que a imagem tem que passar pelo segundo cilindro, o processo é classificado como indireto.

A impressão offset pode ser feita nas cores CMYK (ciano, magenta, amarelo e preto) ou Pantone. De acordo com a cor que for escolhida, o processo será um pouco diferente. No primeiro caso, as cores são adicionadas uma a uma até chegar ao resultado desejado. Já as cores Pantone vão prontas para a máquina (que continua precisando de matrizes individuais para cada cor).

Uma vantagem desse modelo é que algumas tintas específicas, como as metálicas e fluorescentes, só são capazes de serem impressas pelo maquinário offset. Então, com ele, você consegue imprimir projetos com acabamentos diferenciados.

Além disso, em um equipamento de offset é possível imprimir projetos de diferentes formatos e matérias-primas. Você pode utilizar papel e até alguns tipos de plástico para fazer a impressão. A máquina também aceita gramaturas distintas.

Como esse modelo de impressão depende de equipamentos mais antigos, a realização desse trabalho tem um custo fixo, além do variável. É necessário gastar com a manutenção da máquina, montagens, as chapas, gravações e fotolitos.

Adiciona-se a esses custos o valor da quantidade de itens que devem ser impressos. Se a tiragem for pequena, não é muito interessante fazer uma impressão offset, pois o custo será grande.

A impressão em uma offset ocorre em alta velocidade, o que é vantajoso principalmente para quem tem a necessidade de imprimir muitos itens. Um amplo período é gasto para preparar as máquinas antes de elas iniciarem seus serviços. No entanto, quando há uma grande tiragem para ser feita, compensa realizar uma impressão offset devido a sua velocidade.

A qualidade desse modelo de impressão, seja em pequenas ou enormes tiragens, é muito boa graças ao modo como as tintas são aplicadas no material. Essa é uma das razões pelas quais, mesmo sendo antiga e mais complexa, a técnica continua sendo muito utilizada.

Impressão digital

Com a evolução da tecnologia, foi criada a impressão digital. Ela é realizada com as máquinas que muitas pessoas têm em casa ou que você vê em papelarias e outros estabelecimentos que fazem impressão e tiram cópias. Isto significa que o processo é mais simples e não é necessário ter um grande conhecimento sobre o equipamento para colocá-lo para funcionar.

O procedimento da impressão digital é menos complexo, pois diferentemente da offset, o serviço é feito de maneira direta. Então, não há um intermediário. A imagem é enviada de um meio digital para a impressora e a tinta já está pronta para o papel, não é preciso misturá-la.

Por ser mais simples realizar essa impressão, o tempo gasto para ter a imagem em suas mãos é menor. Em uma impressora digital não é necessário, por exemplo, arrumar as chapas. Sendo assim, se a tiragem for pequena, ela pode ser feita rapidamente com a impressão digital.

Como o processo é menos complexo, esse tipo de impressão também é bastante utilizado em projetos que possuem dados variáveis. Ou seja, aqueles em que algumas informações devem ser trocadas em um cartaz ou outro. Um exemplo são eventos que acontecem em diversas cidades e datas diferentes, como shows e peças de teatro. Para cada local é necessário imprimir uma imagem distinta.

Para fazer isso na impressora digital, basta trocar os itens em um computador e mandar a figura para a impressão novamente. Essa técnica, além de prática, não demanda gastos extras como aconteceria se a impressão fosse feita em offset. Nesse caso, o profissional teria que mudar as informações na chapa para cada exemplar e o custo seria muito alto.

Aliás, a impressão digital geralmente é mais barata que a offset, pois não possui um custo fixo com o maquinário. A única despesa é a variável, que é definida conforme a tiragem. Então, vale a pena investir nesse modelo quando a quantidade de itens é baixa.

A qualidade da impressão digital é excelente. Muitas vezes, a offset é considerada superior pela maneira que reproduz as cores, mas as imagens digitais também são de alto nível.

Qual é a impressão ideal para você?

A verdade é que não existe uma resposta absoluta, porque não há uma impressão superior à outra. É preciso analisar os projetos individualmente para saber qual é a impressão ideal para cada um deles.

Se você for realizar uma grande tiragem, o método mais indicado é a impressão offset, já que ela é mais rápida e o custo para a impressão de muitos itens acaba sendo mais baixo que o da digital. Caso o projeto exija cores alternativas, como as metálicas, ele também deve ser impresso na offset, que é a única capaz de transmitir essa tonalidade para o material.

Entretanto, se a sua tiragem for baixa, o tempo e o valor da impressão digital vão valer bem mais a pena que o offset. Caso seja necessário realizar mais de uma impressão para alterar dados na imagem, a técnica recomendada ainda é a digital, pois ela é mais prática e não gera custos adicionais.

Sendo assim, a escolha realmente deve ser feita de acordo com o seu trabalho vigente. Agora que você sabe quais são as diferenças entre a impressão offset e a digital e para quais serviços elas são indicadas, já conseguiu decifrar qual é a técnica mais adequada para o seu projeto atual?

Fonte: Onpaper

5 dicas úteis do mercado de embalagens

As embalagens possuem várias funções, além de embrulhar produtos. Por isso, separamos 5 dicas úteis para você fornecer embalagens ótimas para os seus clientes!

Muitos pensam que a única função de uma embalagem é embrulhar um produto, porém ela tem diversas atribuições além dessa, como proteger a mercadoria e atrair clientes. Sim, a embalagem faz muita diferença em uma venda. Ou vai dizer que você nunca prestou atenção em um produto por causa de seu embrulho? É claro que já!

É por isso que, cada vez mais, os empreendedores investem na melhoria de suas embalagens. Pensando nisso, separamos 5 dicas úteis do mercado de embalagens para que você faça modelos incríveis que impressionem e auxiliem em suas vendas. Continue lendo o nosso post e confira!

1. Faça embalagens personalizadas

Quem deseja chamar a atenção dos consumidores precisa investir em embalagens personalizadas. De acordo com algumas pesquisas, um produto tem 3 segundos para chamar a atenção de um comprador e, quando ele consegue, há uma chance de 85% de o indivíduo realizar a compra.

Para atrair um possível cliente em apenas segundos, a embalagem deve ter um design que transmita o conceito da marca e que seja agradável aos olhos do seu público-alvo. Então, trabalhe em sua logomarca, nas cores, formas e grafismos da embalagem.

Lembre-se de planejá-la bem, porque o embrulho, seja uma caixa ou uma sacola, tem que refletir os valores da empresa. Não adianta fazer uma embalagem maravilhosa que não se relaciona bem com os serviços e produtos que você fornece.

Além de pensar nas embalagens comuns, programe-se para ter peças diferentes em datas especiais. Uma sacola somente para o Natal, por exemplo, pode encantar os clientes e aumentar bastante as chances de compra. Pode até parecer bobeira, mas mudar uma embalagem em uma época do ano faz diferença. Promover campanhas sazonais passa a imagem de uma empresa organizada e que tem consideração por seus clientes.

2. Pense no produto que ela irá embalar

A embalagem, além de atraente, deve ser funcional. Ou seja, ela tem que ser capaz de realizar o serviço para o qual foi designada. Por isso, pense nas características de suas mercadorias antes de adquirir o embrulho.

Esse deve conseguir sustentar o peso, ter dimensões maiores que as do produto e garantir a durabilidade dele. Analise o formato do item e veja qual é o melhor tipo de embalagem para ele, por exemplo, uma caixa ou um papel de presente. Se você vende várias peças e objetos, em diferentes formas, faça embalagens distintas para cada modelo.

Se você tiver um e-commerce, deve prestar ainda mais atenção nessa dica, porque a sua mercadoria passa por um caminho agitado até chegar ao destino final e, mesmo assim, elas tem que ser entregue ilesa.

3. Coloque cartões de agradecimento

Os cartões de agradecimento não integram a fabricação de uma embalagem, porém eles são um complemento para agradar os seus clientes. Novamente, no caso de lojas virtuais, o cartão agradecendo pela compra será uma grata surpresa para quem adquiriu o seu produto.

A mensagem tem que ser personalizada, com o nome do consumidor, mas o conteúdo pode variar de acordo com o tom de voz da sua marca. Se ele for mais sério, agradeça pela preferência, convide o comprador a voltar ao seu site e deixe seus canais de contato para qualquer problema.

Caso o tom seja mais jovem e descolado, sua mensagem pode ser mais descontraída e até ter uma linguagem informal, porque é isso que o seu público busca. Se o seu negócio é físico, também é possível trabalhar com cartões para agradar os clientes. Tenha um, com a sua logo e informações de contato, e coloque-o na embalagem na hora do pagamento da compra. Pequenas ações como essa podem ser decisivas para fidelizar um cliente.

4. Tenha embalagens sustentáveis

Atualmente, o modo de fazer negócio mudou e os clientes ocupam um espaço bem maior que antes nesse processo. As empresas que desejam ser bem-sucedidas precisam escutar o que o público está pedindo. Sendo assim, elas devem ser mais sustentáveis, pois essa é uma das grandes solicitações das pessoas, que estão cada vez mais preocupadas com o meio ambiente.

Usa-se bastante papel kraft, tecidos feitos a partir de PET e algodão cru para produzir as embalagens sustentáveis. Iniciar essa prática em seu negócio é uma atitude muito positiva, porque ela não ajuda somente na preservação da natureza, mas também no fortalecimento de sua marca.

O público gosta de apoiar empresas que tenham consideração com eles e com fatores importantes que contribuem para a construção de uma sociedade melhor. Então, ao fornecer esse tipo de embalagem, seu negócio será bem visto e pode haver um aumento tanto no envolvimento de seus clientes, quanto no número de vendas.

5. Ofereça embalagens de fácil manuseio

Além de possuir todas essas características, a embalagem, obrigatoriamente, tem que ser de fácil manuseio. Nada pior que uma sacola que é difícil de carregar ou abrir, certo? Muitas vezes, a embalagem é linda, mas não foi feita para ser transportada na mão por certo tempo ou dá um trabalhão para abrir, tem que rasgar e por aí vai. Todo mundo já passou por esse sufoco, mas ninguém gosta disso.

Então, observe se suas embalagens são práticas e se elas não vão causar estresse no consumidor. Veja se é preciso utilizar fitas adesivas demais para finalizar o embrulho ou se aquela alça da sacola é ideal para o transporte. Caso seja necessário, mude o tipo de embalagem para que o consumidor final fique mais contente e você não tenha problemas.

A opinião do comprador nunca teve tanta importância, por isso é bom não arriscar. Mesmo que todas essas ações com as embalagens, como personalizar e melhorar o seu manuseio, custem dinheiro, não veja isso como um gasto a mais em seu orçamento. Olhe como um investimento que pode trazer vários ganhos para a sua marca, porque ele realmente é capaz de fazê-lo.

Alguns exemplos são o aumento de engajamento do público e no número de vendas. No caso de empresas que entregam os seus produtos, ter embalagens incríveis é ainda mais essencial, porque esse é o contato mais próximo entre vendedor e cliente.

O que achou dessas 5 dicas sobre o mercado de embalagens? Se quiser saber mais sobre o assunto continue acompanhando o nosso blog!

Fonte: Onpaper

Papel Kraft: 4 dicas para acertar na compra

Existem diversos tipos de papel Kraft no mercado. Veja aqui dicas de como acertar na compra do seu!

O papel Kraft é amplamente utilizado na indústria, principalmente para fazer embalagens, envelopes, pastas, caixas, moldes e impressos em geral. As características do produto fazem com que ele seja uma ótima opção para quem trabalha nesses setores, como o gráfico e o de papelarias.

Como há mais de um tipo do papel disponível no mercado, não é tão simples comprar um exemplar se você não for um grande conhecedor do assunto. Os papeis possuem características distintas que podem influenciar no seu serviço.  Por essa razão, vamos explicar o que é o papel Kraft e dar 4 dicas para você acertar na hora de comprar o seu. Continue lendo o nosso post e confira!

O que é o papel Kraft

Ele é formado a partir de uma mistura de diversos tipos de polpas de madeiras macias. Essas são moídas com aditivos e se tornam fibras de celulose (longas ou curtas), o que garante que o papel Kraft seja resistente, porém macio e versátil ao mesmo tempo. Essas características são o que fazem com que o produto seja ideal para embalagens, caixas e impressões, porque ele suporta grandes pesos e tem muitas possibilidades de acabamento.

Existem vários modelos desse papel, porém o mais comum é o de cor parda natural, ou seja, o que não passou por um processo de branqueamento. Essa é umas das principais diferenças visuais entre ele e os demais tipos de papeis. Apesar de esse ser o mais conhecido, podem ser encontrados papeis Kraft na cor branca ou em outras cores.

Além do Kraft natural, do branco e do colorido, há mais 3 variáveis do produto. Uma delas é a extensível, que como o nome já diz, tem grande capacidade de se estender e é mais flexível que o resto. As outras duas são: a de primeira qualidade, que é mais resistente; e a de segunda qualidade, que é fabricada com uma matéria-prima considerada inferior.

De acordo com as fibras utilizadas e o modo de fabricação, são criados os diferentes modelos de papel. Todos são resistentes, porém o nível de resistência varia conforme o tipo do produto. O papel Kraft pode, ainda, servir como matéria-prima em alguns casos específicos, por exemplo, na produção de papelão ondulado.

Com tantas opções, vamos ver como fazer para você comprar o papel ideal para o seu trabalho!

Dicas para acertar na compra

1. Defina o seu objetivo

Apesar de parecer simples, essa dica é uma das mais importantes para que você acerte na compra do papel Kraft. Você precisa definir o seu objetivo, ou seja, saber o que deseja realizar com o produto. Ele será usado para fazer caixas ou envelopes?

Essa informação vai guiar toda a sua compra e os demais passos dessa lista, porque, de acordo com esse dado, será decidido quais características o papel tem que ter. Se você precisar do material para fabricar mais de um tipo de produto, talvez seja interessante adquirir mais de um modelo também.

Em alguns casos, o mesmo exemplar de Kraft pode ser utilizado para mais de uma função, como fazer embalagens e pastas, mas certifique-se de que o escolhido por você seja indicado para realizar ambas as tarefas. Caso ele não seja, compre os modelos recomendados para cada atividade. Dessa maneira, você vai garantir bons resultados em todas as suas produções.

2. Veja qual é o tipo de papel Kraft ideal para você

Como foi dito, existem vários tipos de papel Kraft disponíveis no mercado. Depois de definir o seu objetivo, é a hora de descobrir qual é o modelo ideal para realizar esse propósito. O natural, por exemplo, é bastante resistente e, por isso, geralmente é usado para fazer embalagens de produtos de grande porte.

Já o extensível, que é feito de fibras de celulose longas, é muito empregado na indústria de sacos de papel. Os de primeira e segunda qualidade são parecidos, mas como esse é feito com uma matéria-prima melhor, ele é mais resistente que o de segunda qualidade.

Se não estiver familiarizado com esse ramo e ainda tiver dúvidas sobre a escolha do tipo de papel, não hesite. Questione o fornecedor durante a compra e acabe com as suas incertezas, porque o modelo de papel usado vai influenciar no resultado final de sua produção.

3. Pergunte sobre a gramatura

Não deixe de olhar qual é a gramatura do papel, ou seja, a densidade dele. Essa informação é fundamental para quem vai comprar o produto, porque, frequentemente, quanto maior a gramatura do Kraft, maior é a espessura dele. Não há uma gramatura boa ou ruim, existem diversos valores que são indicados para atividades distintas.

Um papel de gramatura de 150g, por exemplo, é utilizado na produção de panfletos e folders mais resistentes. Na indústria de sacos, geralmente são usados krafts multifolhados, com gramatura de aproximadamente 80g. O papel utilizado no cotidiano das empresas costuma ter entre 90g e 115g. Sendo assim, mais uma vez, é preciso pensar no seu objetivo para descobrir qual é a gramatura ideal para o seu negócio.

4. Escolha um fornecedor confiável

Entre tantas opções, você tem que encontrar um fornecedor que seja confiável. Para isso, pesquise preços, analise as formas de pagamento oferecidas e a reputação da empresa. 

Um exemplo de bom fornecedor no ramo é a Onpaper. Atuando há 11 anos no mercado, ela é sinônimo de qualidade e confiança. Seu principal objetivo é levar ao mercado soluções em produtos sustentáveis. Ela oferece diversos tipos de papeis kraft, com atendimento excelente e qualidade em sua linha de produtos.

Para conhecer mais sobre as mercadorias que a Onpaper oferece, uma boa ideia é visitar o site e a loja virtual da marca para que você veja as particularidades de cada artigo. Você vai se encantar com o trabalho da Onpaper!

Se quiser ter certeza de que está fazendo um bom negócio, entre em contato com um de nossos consultores, informe qual é o seu objetivo, veja as características dos papeis disponíveis e escolha o mais indicado para a fabricação de seus produtos. Agora que você já sabe como acertar na compra do seu papel Kraft, que tal pesquisar alguns modelos?

Fonte: Onpaper

Papel Kraft: vantagens e para que serve

O papel kraft pode ser visto em muitos setores, como o de papelaria. Veja aqui quais são as vantagens dele e se ele funciona para o seu negócio também!

Papel-Kraft-vantagens-e-para-que-serve

Os produtos feitos de papel kraft, cada vez mais, são encontrados em diferentes setores. Como o material apresenta várias vantagens para os empresários, ele conquistou diversos ramos, como o de sacolas, papelarias e até o de eventos.

Se você está em dúvida se o papel kraft também é adequado para o seu negócio, fique tranquilo. Ele se encaixa em diversas situações e, a seguir, vamos mostrar para o que ele serve e quais são os benefícios para quem decide utilizar esse elemento. Confira!

Para que serve o papel kraft?

Ele é um material formado a partir de fibras de celulose (longas ou curtas) de polpas de madeiras macias, que tem diversas utilidades no comércio. O papel kraft é um conhecido substituto das sacolas de plástico e, por isso, ele é  bastante visto em sacos e sacolas, sejam elas de supermercados ou de lojas mais sofisticadas.

Uma das diferenças entre ele e os papeis comuns é a aparência. O papel kraft, normalmente, é vendido em sua cor natural, que é marrom. O produto pode passar por um processo de branqueamento, mas é justamente essa apresentação distinta que faz com que ele se encaixe em vários setores do mercado.

Na versão natural, por exemplo, ele é amplamente usado em embalagens de brindes, caixas e impressões digitais de eventos ou marcas. Outros produtos de papelaria, como pastas, geralmente são feitas também com papel kraft.

Mais um setor que usufrui do material é a indústria da moda. Quando uma nova coleção vai ser lançada, as ideias dos estilistas são colocadas em papeis de risco para que ele faça moldes e sua imaginação ganhe forma. Por suas características, o kraft frequentemente desempenha a função de papel de risco e moldes.

Em determinadas situações, ele ainda pode ser utilizado como matéria-prima. Um dos casos em que ele é mais requisitado é o da produção de papelão ondulado. Vamos ver no próximo tópico porque ele é benéfico para tantos campos do mercado!

Quais são as vantagens?

1. Versatilidade

O papel kraft é facilmente modificado, ou seja, personalizado. Ele pode tomar diferentes formas, como de sacolas, envelopes ou caixas, e você ainda consegue decorá-lo sem problemas. É possível colar adesivos no papel, usar carimbos e outros elementos para enfeitá-lo.

Sendo assim, você tem diversas possibilidades de produtos. Por exemplo, se você desejar, pode fazer uma embalagem em formato de caixa para uma data. Depois, nas caixas restantes, pode colocar adesivos referentes a outra época especial.

Existem diversos tipos de papel kraft no mercado, o que dá ainda mais versatilidade para os seus negócios. Você tem a possibilidade de escolher o que mais se encaixa em seus objetivos ou comprar mais de um, de acordo com o que vai fazer.

Só para citar alguns exemplos, há o natural (que não passou pelo processo de branqueamento), o branco e o extensível, que tem grande capacidade de se estender e é ainda mais flexível que o restante.

O material é leve e fácil de ser manuseado, portanto, qualquer modificação que quiser fazer no original não será um bicho de sete cabeças. É essa versatilidade que permite que ele agrade desde as grandes redes de supermercado até as lojas mais refinadas.

2. Resistência

Quando se descobre que o kraft é bem maleável e leve, muitos acreditam que não tem como ele também ser resistente. Contudo, esse papel tem uma grande resistência. As fibras de celulose que formam o papel garantem que ele será forte o suficiente para suportar os diferentes pesos de produtos.

É por essa razão que o papel é tão utilizado no setor de embalagens e embrulhos, em geral. As chances de ele não aguentar o peso de uma peça são bem pequenas. De acordo com o tipo de papel kraft, a resistência vai variar, porém não precisa se preocupar com isso. É simples descobrir a gramatura do material e qual é a ideal para os produtos que você deseja fabricar.

3. Não prejudica o meio ambiente

Essa é uma vantagem que auxilia não somente o proprietário de uma empresa, mas sim o mundo todo e por isso ela é tão importante. As sacolas de plástico demoram muitos anos para fazerem a decomposição na natureza, enquanto o papel kraft leva bem menos tempo.

Estima-se que algumas sacolas de plástico fiquem de 100 a 400 anos no meio ambiente até se decomporem totalmente! Já as de kraft levam de 3 a 6 meses. Quando comparamos ambas, a segunda vale bem mais a pena.

Além disso, os produtos feitos de papel kraft podem ser reutilizados de duas maneiras: a primeira, como já foi dito, é na própria empresa. Se sobrarem caixas ou sacos, por exemplo, você pode decorá-las de uma forma diferente para utilizá-las em outra época ou evento. Caso não haja mais como reutilizar o produto, o papel kraft pode ser mandado para a reciclagem, onde vai se transformar em outras peças e acessórios.

4. Beleza

Não há como negar que a aparência do papel kraft acrescenta beleza ao design dos produtos fabricados com esse material. Em diversas situações, a cor natural marrom dele dá um ar mais requintado às embalagens e cartões de visita, por exemplo. Em impressões, é importante lembrar que o tom consegue ser mantido.

Ele é ideal para quem deseja dar um toque rústico, porém requintado à peça. É por essa razão que ele é bastante visto também em convites, ou em forma de caixa para guardar lembrancinhas de casamento e eventos corporativos. Frequentemente, ele se destaca e agrada os convidados ou clientes.

Como você viu, o papel kraft não tem uma única função. Ele serve para fazer vários produtos, como embrulhos, envelopes, caixas, e em alguns casos, ele é utilizado até como matéria-prima para fabricar outros materiais.

Isso acontece porque ele traz diversas vantagens quando é comparado aos seus concorrentes. Elas são a versatilidade, a resistência, a beleza que dão ao produto final e o fato de que ele não prejudica o meio ambiente. Depois de descobrir todos esses benefícios, o que acha de ver algumas dicas de como fazer para acertar na compra do seu papel kraft?

 

Fonte: Onpaper